Um dos mais perenes frutos do Festival Recifense de Literatura A Letra e a Voz, a coletânea de ensaios ganhará uma segunda edição em 2019. A Prefeitura do Recife, por meio da Secretaria de Cultura e da Fundação de Cultura Cidade do Recife, está à procura de autores que morem na capital pernambucana para se debruçar sobre fatos históricos ocorridos na cidade para fazer parte da publicação, repercutindo, analisando ou desdobrando, a partir de qualquer que seja o viés ou ângulo escolhido.

As inscrições de conteúdo estão abertas. Interessados em compor a Coletânea de Ensaios Sobre o Recife – 2ª Edição devem submeter, presencialmente, por Sedex ou por e-mail, seu conteúdo, com, no máximo, 25 páginas dedicadas ao Recife, além de ficha de inscrição preenchida, até o dia 9 de novembro de 2018.

Em caso de inscrição presencial, o material deverá ser entregue no Teatro Barreto Júnior, na Rua Estudante Jeremias Bastos, S/N, Pina Recife/PE, (CEP 51.011-040), de segunda a sexta-feira, das 8h às 14h. Para inscrições pelos Correios, o material deve ser encaminhado para o mesmo endereço.

As inscrições online podem ser realizadas até as 23h59 da data limite, pelo e-mail heloisa.morais@recife.pe.gov.br. Neste caso, os materiais necessários para a efetivação da inscrição deverão ser enviados num único e-mail, no formato de arquivo PDF. Para mais informações: 3202-5921 ou 3202-5990. O edital e o formulário de inscrição estão disponíveis no nosso portal.

1ª Edição – O lançamento da coletânea Denis Bernardes de Ensaios, 1ª edição do projeto, ocorreu na 16ª edição do Festival Recifense de Literatura A Letra e a Voz, realizado no final do último mês de agosto. A publicação, financiada pela Prefeitura do Recife, conta com textos selecionados a partir da curadoria de Antônio Paulo Rezende, Cícero Belmar e Jorge Siqueira.

São dez ensaios sobre a cidade do Recife, assinados por: Ricardo Japiassu, pós-doutor em Teoria Literária, sobre a presença do Recife na obra de Raul Pompeia; Mário Ribeiro dos Santos, doutor em História, sobre São João e quadrilhas juninas; Mário Pereira Gomes, a Ponte Maurício de Nassau e a modernidade do início do século XX; Mariana Aragão, arquiteta e urbanista, sobre os sobrados recifenses; Marcos de Oliveira, poeta e publicitário, sobre o diálogo entre a poesia de Manuel Bandeira e a litografia de Luís Schlappriz; Luci Maria da Silva, professora e analista em Gestão Educacional, sobre a cultura afro-brasileira no Recife; Leidson Ferraz, jornalista e pesquisador, sobre o teatro infantil na cidade; Francisco Pedrosa, bacharel em história, sobre a modernização e a literatura no Recife; Eduardo Jorges Pugliese, historiador e escritor, sobre as transformações urbanistas entre as décadas de 1920 e 1940; e Rudimar Constâncio, historiador, sobre as várias expressões da cultura popular.

A coletânea está à venda na Gerência de Literatura, no Teatro Barreto Júnior, por R$ 30.

fonte: Prefeitura de Recife

Leave a Comment