Dados de violência contra a mulher são a evidência da desigualdade de gênero no Brasil

Por Samira Bueno e Renato Sérgio de Lima, Fórum Brasileiro de Segurança Pública do portal G1 Os dados divulgados pelo Monitor da Violência neste 8 de março indicam que a violência contra a mulher permanece como a mais cruel e evidente manifestação da desigualdade de gênero no Brasil. A sociedade, cada vez mais entregue à hipocrisia política e populista daqueles que estimulam a violência como resposta pública ao medo e ao crime, ignora que não há lugar seguro para as mulheres no país. Não há separação entre espaço público e…

LEIA MAIS...

Brasil é um dos países que registram mais agressões contra pessoas LGBTI

O 29 de janeiro, Dia Nacional da Visibilidade Trans, tem como objetivo dar visibilidade à população trans, que inclui travestis, mulheres transexuais e homens trans. Essa visibilidade se faz necessária principalmente porque o Brasil é um dos países que mais agridem pessoas LGBTI, sobretudo travestis e transexuais. Nesse contexto, um desafio se levanta: como garantir a sobrevivência dessa população? Como tornar a sociedade mais inclusiva e plural, garantindo o cumprimento de direitos e adotando políticas que reconheçam o outro em sua cidadania, especialmente em relação ao atendimento na rede de saúde…

LEIA MAIS...

Mundo produzirá 120 milhões de toneladas de lixo eletrônico por ano até 2050, diz relatório

O nível de produção de lixo eletrônico global deverá alcançar 120 milhões de toneladas ao ano em 2050 se as tendências atuais permanecerem, de acordo com relatório da Plataforma para Aceleração da Economia Circular (PACE) e da Coalizão das Nações Unidas sobre Lixo Eletrônico, divulgado em Davos, Suíça, na quinta-feira (24). O relatório revela o valor anual de lixo eletrônico global como superior a 62,5 bilhões de dólares, mais que o PIB de muitos países. Mais de 44 milhões de toneladas de lixo eletrônico e elétrico foram produzidas globalmente em 2017…

LEIA MAIS...

Manifesto global pede fim da violência contra crianças e jovens nas escolas e arredores

Jovens de todo o mundo vão pedir aos governos o fim da violência nas escolas e arredores, durante o Fórum Mundial de Educação, que ocorre nesta semana no Reino Unido. Representando crianças e jovens de diferentes países, Khuthadzo Silima e Jonathan Franca, jovens ativistas de 18 anos da África do Sul e dos Estados Unidos, apresentarão um manifesto a ministros de Estado no evento em Londres, detalhando o que crianças e jovens precisam para se sentir seguros dentro e nos arredores da escola. “O manifesto representa as vozes de milhões de…

LEIA MAIS...

INSTITUTO AVON PROPÕE A CONSTRUÇÃO DE RELACIONAMENTOS MAIS SAUDÁVEIS PARA O ENFRENTAMENTO DA VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER

No dia 20 de novembro, o Instituto Avon lançou a campanha #comTrato, no âmbito dos 21 Dias de Ativismo, período dedicado à luta pelo fim da violência contra a mulher. Este ano, a iniciativa discute como tratar assuntos e temas importantes para a construção de relacionamentos saudáveis. O objetivo da campanha é incitar uma mudança na sociedade a partir do senso de corresponsabilidade. Desde 1991, a Organização das Nações Unidas (ONU) trabalha globalmente com os 16 Dias de Ativismo, que tem início em 25 de novembro, Dia Internacional de Combate à Violência Contra a…

LEIA MAIS...

PLANO NACIONAL PARA COMBATER POLUIÇÃO NO MAR LANÇA CONSULTA PÚBLICA

A poluição plástica é um problema grave no Brasil? Você ou sua organização tem boas ideias para minimizar o lixo que invade nossos oceanos? O Ministério do Meio Ambiente quer saber essas e outras opiniões do público sobre o tema, para fundamentar a construção do Plano de Ação Nacional para o Combate ao Lixo no Mar. Para isso, lançaram um questionário online para entender o que os diversos setores da sociedade pensam e propõem para uma das maiores ameaças aos oceanos: o lixo. O lançamento aconteceu a Waste Expo Brasil,…

LEIA MAIS...

Ambiente doméstico concentra maior número de assassinatos de mulheres no mundo, diz ONU

Cerca de 87 mil mulheres no mundo foram vítimas de homicídio em 2017. Desse grupo, aproximadamente 50 mil — ou 58% — foram mortas por parceiros íntimos ou parentes. Isso significa que, por hora, no ano passado, seis mulheres foram assassinadas por pessoas que elas conheciam. Os números foram divulgados nesta semana pelo Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC). Organismo vê estagnação de progressos para proteger as mulheres no ambiente doméstico. “Embora a vasta maioria das vítimas de homicídio sejam homens, as mulheres continuam a pagar o…

LEIA MAIS...

Pobreza cresce 11%, renda média das mulheres cai e Brasil sobe no ranking mundial da desigualdade

A Oxfam Brasil revela que, depois de um período de queda iniciado em 2002, a desigualdade aumentou em 2016 e manteve esse quadro no ano passado, quando a quantidade de pessoas pobres registrou crescimento de 11% e, pela primeira vez, em 23 anos, a renda média das mulheres caiu em relação à dos homens. Motivos? Recessão, aumento do desemprego e crise financeira do governo que impede investimentos em projetos sociais e em políticas públicas para os mais pobres. Resultado: o país subiu um ponto no ranking mundial de desigualdade de renda, elaborado pelo Pnud (Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento da ONU), passando de 10º para 9º…

LEIA MAIS...

Violência contra as mulheres é ‘pandemia global’, diz chefe da ONU

Em evento na sede da ONU, em Nova Iorque, o secretário-geral António Guterres afirmou na segunda-feira (19) que o mundo só vai se orgulhar de ser “justo e igualitário” quando as mulheres puderem viver livres do medo e da insegurança cotidiana. Chefe da Organização condenou a violência de gênero, descrita pelo dirigente como “uma pandemia global”.   “É uma afronta moral a todas as mulheres e meninas, e a todos nós, uma marca vergonhosa em todas as nossas sociedades”, criticou Guterres em encontro de ativistas e especialistas para marcar o Dia…

LEIA MAIS...

Projeto cria delegacias especializadas em pessoas desaparecidas em cidades com mais de 100 mil habitantes

A Câmara dos Deputados analisa o Projeto de Lei 10191/18, da deputada Tia Eron (PRB-BA), que prevê a criação de delegacias especializadas em pessoas desaparecidas nas cidades com mais de 100 mil habitantes. A deputada alerta que não se consegue, no Brasil, calcular a quantidade de indivíduos desaparecidos. “O Comitê Internacional da Cruz Vermelha apela para que os governos tratem com mais responsabilidade e urgência a questão humanitária das pessoas desaparecidas, percebendo que esses desaparecimentos são um tema social e político delicado”, disse. Conforme o projeto, as delegacias serão integradas…

LEIA MAIS...