187 países assinam acordo para monitorar resíduos plásticos e restringir seu envio para nações pobres. Brasil ficou de fora…

Ao mesmo tempo em que um movimento histórico mundial ganha força, mais um retrocesso graveacontece na política ambiental brasileira: na semana passada, o país não aderiu ao acordo mundial firmado por 187 nações signatárias da ONU para monitorar seus resíduos plásticos. Isso envolve descarte, rastreamento do movimento de seus dejeitos para além de suas fronteiras e, também, a restrição do envio desses resíduos para países mais pobres. Com um detalhe: o Brasil é o país que mais polui o planeta com lixo plástico e o que menos recicla. Certamente, o encontro foi baseado nos dados do estudoLimites Legais sobre Plásticos e Microplásticos de…

LEIA MAIS...

Brasil recicla apenas 1,28% do plástico que produz

O Brasil é o 4º maior produtor de lixo plástico no mundo, com 11,3 milhões de toneladas, ficando atrás apenas dos Estados Unidos, China e Índia. O país recicla apenas 1,28% do total produzido, um dos menores índices da pesquisa e bem abaixo da média global de reciclagem plástica que é de 9%. O levantamento foi realizado pelo WWF com números do Banco do Mundial e analisou a relação com o plástico em mais de 200 países, e apontou que o brasileiro produz, em média, aproximadamente 1 quilo de lixo…

LEIA MAIS...

FAO alerta: 70% das crianças que trabalham estão na agricultura; vídeo

O trabalho infantil é definido como o trabalho que é inapropriado na infância – ou, mais especificamente, o trabalho que afeta a educação de uma criança ou que pode prejudicar sua saúde, segurança ou moral. Segundo a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), cerca de 70% de todas as crianças trabalhadoras estão na agricultura – pecuária, silvicultura, pesca ou aquicultura. Isso representa um aumento de 12%, ou 10 milhões de meninas e meninos, desde 2012. Claramente, esse não é um problema fácil de superar, mas é…

LEIA MAIS...

Um milhão de espécies estão ameaçadas de extinção, revela novo e alarmante relatório internacional

ais de 40% das espécies de anfíbios, quase 33% dos corais e mais de um terço de todos os mamíferos marinhos estão ameaçados. E pelo menos 680 espécies de vertebrados foram levadas à extinção desde o século 16. “Ecossistemas, espécies, animais selvagens, variedades locais e raças de plantas e animais domesticados estão encolhendo, deteriorando ou desaparecendo. A rede essencial e interconectada da vida na Terra está ficando menor e cada vez mais desgastada”, ressalta o cientista alemão Josef Settele. “Essa perda é o resultado direto da atividade humana e constitui uma ameaça direta ao bem estar do homem em todas as regiões do…

LEIA MAIS...

Havaianas e Instituto IPÊ lançam edição especial com estampas de animais em risco de extinção

Onça-pintada, mico-leão e arara-vermelha. As três espécies de animais brasileiros, ameaçados de extinção, viraram estampa de uma edição especial das sandálias Havaianas. Os desenhos foram feitos pelo artista Arlin Graff, conhecido por seus grafites coloridos e geométricos. A coleção foi criada para celebrar os 15 anos de parceria entre a marca e o Instituto de Pesquisas Ecológicas – IPÊ -, uma das mais importantes e sérias organizações não governamentais do Brasil, que trabalha pela proteção e preservação de nossa fauna e flora. Desde 2004, já foram 15 coleções adulto e quatro infantil, retratando a biodiversidade do país. Nesse período, mais…

LEIA MAIS...

Casos de sarampo têm aumento de 300% no mundo, diz OMS

Dados preliminares mostram que os casos de sarampo no mundo tiveram aumento de 300% no primeiro trimestre de 2019, em comparação com o mesmo período do ano passado, afirmou na segunda-feira (15) a Organização Mundial da Saúde (OMS). Segundo o organismo da ONU, todas as regiões do planeta têm registrado um crescimento prolongado no número de episódios da doença, que avançou mesmo em países com elevada cobertura de vacinação, como os EUA. Entre as nações que registram surtos atualmente, estão a República Democrática do Congo, Etiópia, Geórgia, Cazaquistão, Quirguistão, Madagascar,…

LEIA MAIS...

Plataforma de inteligência artificial quer combater a violência contra mulheres

Idealizada pela professora Cristina Castro-Lucas em conjunto com a Empresa Social Ink Inspira e outras empresas de notório saber das áreas de tecnologia, o projeto Glóriaé uma plataforma de inteligência artificial que objetiva diminuir todas as formas de violência contra mulheres e meninas. A inteligência artificial foi criada por meio de interfaces inteligentes e de autoaprendizagem a partir de um conjunto de algoritmos capazes de evoluir com interações em linguagem natural com o usuário. Ao conversar com Glória, as pessoas vivenciarão comportamentos e atitudes de uma pessoa real. Ela entenderá os fatos abordados…

LEIA MAIS...

DOCUMENTÁRIO MOSTRA PESSOAS IMPACTADAS PELAS MUDANÇAS CLIMÁTICAS

“O Amanhã é Hoje” foi lançada na conferência das Nações Unidas sobre o clima, a COP 24, realizada em dezembro do ano passado na Polônia. Uma agricultora, uma chefe de brigada de incêndio, um comerciante, uma artesã, um produtor de ostras e uma microempresária. Cada um de uma região do Brasil: Santos (SP), Itajaí (SC), Parque Estadual Ilha do Cardoso (SP), Nova Friburgo (RJ), Terra Indígena Krikati (MA), São José do Egito (PE). O que eles têm em comum? São impactados diariamente com ações das mudanças climáticas. Em 23 minutos,…

LEIA MAIS...

Dados de violência contra a mulher são a evidência da desigualdade de gênero no Brasil

Por Samira Bueno e Renato Sérgio de Lima, Fórum Brasileiro de Segurança Pública do portal G1 Os dados divulgados pelo Monitor da Violência neste 8 de março indicam que a violência contra a mulher permanece como a mais cruel e evidente manifestação da desigualdade de gênero no Brasil. A sociedade, cada vez mais entregue à hipocrisia política e populista daqueles que estimulam a violência como resposta pública ao medo e ao crime, ignora que não há lugar seguro para as mulheres no país. Não há separação entre espaço público e…

LEIA MAIS...

Brasil é um dos países que registram mais agressões contra pessoas LGBTI

O 29 de janeiro, Dia Nacional da Visibilidade Trans, tem como objetivo dar visibilidade à população trans, que inclui travestis, mulheres transexuais e homens trans. Essa visibilidade se faz necessária principalmente porque o Brasil é um dos países que mais agridem pessoas LGBTI, sobretudo travestis e transexuais. Nesse contexto, um desafio se levanta: como garantir a sobrevivência dessa população? Como tornar a sociedade mais inclusiva e plural, garantindo o cumprimento de direitos e adotando políticas que reconheçam o outro em sua cidadania, especialmente em relação ao atendimento na rede de saúde…

LEIA MAIS...