Ministério da Cidadania oferece curso gratuito em mercado de games

Quando iniciou o curso de capacitação no setor de games, a produtora cultural Tainan Franco, que atua há 15 anos no mercado, tinha pouco contato com a área de jogos eletrônicos. A produtora revela que o curso de três módulos – desenvolvido pelo Ministério da Cidadania – a estimulou a incluir os games nas atividades produzidas por sua empresa.

2019.04.11_Games_Divulgação-768x360

“Depois desse curso resolvi me aprofundar em realidade virtual e aumentada e pude aplicar, na prática, a gameficação em espaços museológicos. A iniciativa foi criada a partir de uma vontade de atrair pessoas mais jovens para exposições de arte”, conta Tainan. A produtora explica a lógica de aplicação de uma mecânica de jogos dentro de uma exposição: “Em cada peça de arte, em cada quadro, a pessoa vai encontrando uma dica para encontrar a outra peça de arte. Desse modo, nós contamos uma história ao gameficar essa passagem pelo museu”.

O interesse de Tainan segue uma tendência no Brasil, onde o mercado de games está em pleno crescimento. O curso oferecido pelo governo federal já conta com 10 mil inscritos e 1,5 mil conclusões de curso, em pouco mais de um ano de oferta. A série de três módulos foi concebida em parceria com a Associação Brasileira das Desenvolvedoras de Jogos Digitais (Abragames) e com o Núcleo de Estudos em Economia Criativa e da Cultura (Neccult) da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Os módulos foram formatados a partir de debates ocorridos na edição de 2017 do Brazil’s Independent Game Festival (BIG Festival), o maior festival de jogos independentes da América Latina.

Para o coordenador do Neccult, Marcelo Milan, a proposta do curso é proporcionar capacitação para quem tem interesse em empreendedorismo. “O profissional precisa entender como o mercado está estruturado, quais são as opções de financiamento. A base técnico-educacional eles já têm, mas falta a complementação, ou seja, o viés mercadológico do setor. Os desenvolvedores aprendem a se inserir no mercado como empreendedores”, aponta.

Oferecido apenas em uma modalidade à distância, o curso traz capilaridade e alcança pessoas que não podem participar de eventos presenciais, como o BIG Festival. “Quem não teve oportunidade para se deslocar para as palestras do festival em São Paulo, teve como acessá-las tanto no material audiovisual, que nós preparamos, como também com as apostilas que foram produzidas para o curso”, completa Milan.

Curso gratuito

O curso “O setor de games no Brasil: dicas e desafios para empreendedores”, que oferece capacitação gratuitamente para o mercado de jogos eletrônicos, está disponível na internet. As inscrições podem ser feitas a qualquer momento, na plataforma de cursos on-line Lúmina, da UFRGS. De acordo com o Neccult, boa parte dos alunos está vinculada ao setor de jogos eletrônicos. No módulo 1, cerca de 43% estão na faixa etária de 20 a 29 anos e 71% tem curso de graduação ou mais. No módulo 2, a faixa dos alunos entre 20 e 29 anos cai para 26% e, no último módulo, de internacionalização, o patamar volta para os 43%.

Inscreva-se nos módulos:

Fonte: Ministério da cidadania

Você também vai gostar de ler estes...

Leave a Comment