Programa Mãe Coruja Pernambucana é referência internacional no combate à mortalidade infantil e materna

Programa Mãe Coruja Pernambucana, que tem como objetivo reduzir a mortalidade de mães e crianças em Pernambuco, já foi apresentado em Cabo Verde, Peru, Paraguai e México. Em dezembro de 2011, recebeu representantes do Timor Leste em visita ao Brasil. “Encontramos a equipe do Timor Leste para trocar experiências e passar a metodologia, os avanços e os resultados alcançados. Com isso, acreditamos contribuir com países que enfrentam desafios semelhantes aos nossos”, conta a coordenadora do Comitê Executivo do programa, Ana Elizabeth Lima.

No México e no Paraguai, a visita do Mãe Coruja aconteceu a convite da Organização dos Estados Americanos – OEA. “Estamos exportando tecnologia social para a melhoria da qualidade de vida, especialmente, de mulheres e crianças”, afirma Ana Elizabeth.

Lançado em outubro de 2007, no sertão do Araripe, em Pernambuco, o programa atua por meio de ações integradas de oito secretarias – SaúdeEducaçãoDesenvolvimento Social e Direitos HumanosCriança e JuventudeEspecial da MulherQualificação, Trabalho e EmpreendedorismoAgricultura e Reforma Agrária; e Planejamento.

Ana Elizabeth explica que as ações do Mãe Coruja dividem-se em três eixos: Saúde, Educação e Desenvolvimento Social e Direitos Humanos. No eixo Saúde, os objetivos são o aumento da atenção ao pré-natal, ao parto e ao pós-parto; a melhoria da rede de serviços materno-infantil; e o acompanhamento do desenvolvimento da criança. Também faz parte deste eixo a articulação com a Rede Cegonha, estratégia do governo federal para aperfeiçoar a rede de serviços de atenção materno-infantil, que vem sendo implantada no país. Pernambuco foi o primeiro Estado a assinar o termo de adesão, o que, para Ana Elizabeth, “representa o reconhecimento do trabalho desenvolvido pelo Mãe Coruja”. O programa também é parceiro daSave the Children/Fundação Abrinq, da Rede Nacional pela Primeira Infância – RNPI, do Fórum Nacional da Primeira Infância e do UNICEF.

O segundo eixo, Educação, atende as mulheres cadastradas no programa por meio dos Círculos de Educação e Cultura, que atuam para consolidar processos de alfabetização, letramento e elevação de escolaridade, possibilitando à mãe o pleno exercício da cidadania, além da inserção no mercado de trabalho. Já no eixo Desenvolvimento Social e Direitos Humanos, é promovida a inclusão das gestantes e de seus familiares em situação de vulnerabilidade em programas sociais tais como o Bolsa Família e o Benefício de Prestação Continuada – BPC.

Mãe Coruja tem cadastradas 68.329 mulheres e 30.473 crianças, de zero a cinco anos. Entre as mulheres, 6.489 gestantes e 32.541 puérperas encontram-se em fase de acompanhamento. O atendimento é realizado em núcleos presentes em 103 municípios pernambucanos, intitulados Cantos Mãe Coruja. “Atingimos 100% dos municípios onde a mortalidade infantil encontrava-se acima da taxa de 25 mortes para cada grupo de 1000 crianças”, afirma a coordenadora do Comitê Executivo do programa.

Nos municípios em que foram implantados os Cantos Mãe Coruja, dois profissionais de nível superior são responsáveis pelo cadastramento das gestantes e sua inserção na rede de serviços e cuidados, oferecidos pelo Estado e pelos municípios. Ana Elisabeth explica que é por meio dos Cantos Mãe Coruja que as mulheres têm acesso aos Círculos de Educação e Cultura, são inseridas em serviços, programas sociais e de segurança alimentar, participam de cursos de qualificação profissional e de programas voltados para a agricultura.

Com a aprovação da Lei 13.959, em dezembro de 2009, o Programa Mãe Coruja Pernambucana foi regulamentado como Política Pública para o Estado de Pernambuco. O programa é assessorado por representantes de cada uma das oito secretarias envolvidas e tem comitês para cada Regional de Saúde, coordenados pela Gerência Regional de Saúde e compostos por representantes dos municípios.

A convite da Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República, o Programa Mãe Coruja Pernambucana será apresentado na reunião Primeira Infância: Melhores Práticas Internacionais, nopróximo dia 14 de fevereiro (2012).

Para conhecer mais o programa, sua metodologia e impactos, acesse http://maecorujape.blogspot.com/

VIA BLOG

Gestor Social e Bacharelando em Ciências Contábeis pela Universidade Ceuma. Especialista em projetos socio-Culturais, Cordelista nas horas vagas , empreendedor social. Criador deste site, que,  desde 2011  já contribui com inúmeras entidades em todo país através de consultorias para entidades do 3º Setor na elaboração e planejamento estratégico e orçamentário . Adoro café , as noites com livro e cinema , world music e está em casa curtindo a família.

Você também vai gostar de ler estes...

Leave a Comment